Filhinhos da Mamãe

Guia Sobre Infância
MENU

6 dicas de ouro para lidar com a crise dos 2 anos do seu filho (terrible two)

Tags:, , , ,

06

birra crise dos 2 anos

Você deve ter ouvido falar na crise dos 2 anos (conhecido pelo nome em inglês terrible two), mas nunca esperava que chegasse  essa fase pra você. Especialmente se o seu bebê sempre foi comportado e dormia bem. A crise dos 2 anos não começa exatamente aos dois, pode começar de 1 ano e 6 meses até 2 anos e meio, mas algumas crianças não passam por esse fase (orações, por favor…). Sinais de que a criança entrou nessa fase são birra, birra e birra! Ela teima em fazer o oposto do que você pediu, se joga no chão se não for atendido. A famosa birra.  Algumas vezes ele pode pedir algo que nem deseja tanto só para testar o seu “poder”. É uma fase de testes: ele testa os limites, seu poder, e nossa paciência.

Por que seu filho faz birra?

A birra é muito intensa e súbita. Uma hora seu filho está no restaurante feliz, no próximo está aos berros porque não gostou do verde no prato.

Na primeira vez que aconteceu uma crise dessas com a minha filha, eu me desesperei, imaginando que ela estivesse com algum problema emocional, ou tivesse um temperamento agressivo. Aquela pessoa não era a minha filha! Mas na realidade, a criança tem uma explosão devido à frustração. Muito disso decorre da dificuldade em se comunicar. Bebês dessa idade não conseguem falar com clareza e não se expressam como desejam, daí ficam muito frustradas.

A criança tem uma explosão devido à frustração. Muito disso decorre da dificuldade em se comunicar.

birra ii

O que fazer?

Vamos ser sinceras, a vontade é de chorar também. Mas vamos dar 06 dicas para lidar melhor com essa situação.

06 Dicas para lidar com a crise dos 2 anos do seu filho:

1.      Fique calma.

O melhor a fazer durante uma birra é manter-se calma (força, muita força…), ficar ao lado do seu filho, protegê-lo de batidas no chão ou objetos próximos, e aguardar o fim da crise. É difícil se segurar, especialmente se a criança chuta, joga objetos e chega ao ponto de prender a respiração. Durante a crise, a criança não é capaz de compreender bem o que você fala, mas piora muito se você gritar ou ameaça-la. É verdade, quanto mais a gente grita, mais eles gritam também.  Algumas crianças melhoram quando você o abraça, ou o distrai com alguma coisa. Mas outras pioram se você intervir. Após o término da crise, é importante acolher e abraçar a criança, pois ela se sente exausta após essa explosão emocional. Deixar a criança sozinha no quarto pode fazê-la se sentir abandonada, ainda mais que ela fica muito assustada também com a crise.

Se você ficar muito irritada (o que é totalmente compreensível), deixe o quarto por uns segundos até se acalmar, e volte. Precisamos ficar calmas para que eles se acalmem também.

Se você estiver num shopping ou na casa de alguém, pegue seu filho no colo e leve-o a algum lugar calmo, até que ele fique tranquilo. Dessa forma você também tira o estresse extra de ter pessoas ao redor observando.

Por tentativa e erro, cada mãe e pai vai descobrindo o que funciona melhor nesses casos.

2.      Lembre-se que você é o adulto.

Não ceda a exigências irracionais ou que sejam ruins para seu filho. Na tentativa de acabar logo com o escândalo, ficamos tentados a ceder. E não se preocupe com o que outros pensam. Todos os pais já passaram por isso. Já aconteceu uma crise numa livraria, e havia uma senhora com a neta. Eu morri de vergonha dela, mas ela delicadamente me falou: “quem nunca passou por isso?”. Me fez tão bem aquela atitude, que agora reproduzo quando vejo outras mães passando por isso.

3.      Converse depois da crise.

É importante conversar com seu filho depois que a birra terminar. Ajude-o a expressar sua frustração, dizendo: “eu sei que você ficou aborrecido porque não deixei você pegar aquele brinquedo, mas não era nosso”, e explique que aquilo não é aceitável.

4.      Deixe claro que ele é amado

Depois de um desgaste desse, quando tudo estiver calmo, diga que o ama, abrace-o.

5.      Evite situações que sabidamente gerem crises

Observe que tipo de situações geram explosões de birra no seu filho, e procure evitá-las. Minha filha ama animais, e quando passamos por uma loja que tem cachorros ela quer entrar e brincar com eles, o que não é permitido. Para evitar o drama, eu não passo na frente dessa loja.

6.     Fique atento ao excesso

É comum que haja essas crises diariamente, mas alguns acontecimentos podem piorar, como brigas familiares, pais trabalhando muito, chegada de um irmão. Se a criança fica exageradamente estressada e passa a se machucar ou aos outros, pode ser bom ir ao psicólogo. Até para tirar dúvidas e conversar sobre as melhores maneiras de agir.

 

birra

 

Luciana Novellino

Luciana Novellino

Médica, mãe de dois. Apaixonada pela família e buscando vivenciar a maternidade com alegria, mais leveza e menos cobrança.
Luciana Novellino

Últimos posts por Luciana Novellino (exibir todos)

66 respostas para “6 dicas de ouro para lidar com a crise dos 2 anos do seu filho (terrible two)”

  1. Camila disse:

    Nossa meninas, que desesperadora essa fase! Meu filho tem 1a8m, pego metrô com ele todos os dias depois da creche….ele tem feito tanta birra no metrô, e todo mundo fica encarando. Ele pede uma fruta, eu dou ele diz que não. Ele pede tetê, eu preparo e aí ele empurra…qquer coisa q eu fale, ele grita mais….me bate….berra!!! Ele chora sem parar durante a viagem inteira….Com o pai ele não é assim, nunca apanhou, mas obedece qdo o pai pede pra parar…eu me sinto péssima, todos julgando e olhando torto…só faço chorar ultimamente, não sei se trata-se desse terrible two, mas juro que não vejo a hr de passar. Como pode, eu mae de 30 anos com medo de pegar metrô com uma criança de nem 2 anos ainda?!?!?!

  2. Marcelli disse:

    Olá, estou me sentido frustrada, tenho 2 filhos um de 7 anos e um de 2 anos e 5 meses, meu mais velho nunca me deu este tipo de “trabalho” agora o mais novo faz birras o tempo todo. Sei que nem os dedos das mãos são iguais, mais gente ta mega difícil pra mim. Estou sem saber mais o que fazer.

    • Luciana Novellino disse:

      Marcelli, essa fase é dura mesmo. Mas tenha certeza que você não é a única. A saída é manter a calma e a firmeza. Desabafe com um amigo para desestressar. Não se importe com o julgamento dos outros. Ser mãe é um desafio para todas nós.

  3. Elizabeth disse:

    Nossa, eu estou desesperada, tudo que eu nego ao meu filho ou tiro dele, ele se joga no chão começa gritar, fica agressivo.. Sendo que tirando essas pirraça comuns do dia a dia, ele tem uma crises fortes que não é sempre, já teve umas 4 vezes, minha mãe viu e ficou muito assustada, ele se transforma se debate muito, tentei pegar ele no colo ele me arranhou, bateu, ninguém podia encostar, o olhar dele era de assustado como se tivesse fora de si. Dura uns 15 minutos, depois ele se acalma e dorme ou fica tranquilo. Mas fora dessa crise ele não é uma criança que tem hábito de bater, é super carinhoso , não é agressivo, isso que me assusta, essa mudança do nada.. Será que ele pode estar com algum distúrbio?

    • Luciana Novellino disse:

      Oi Elizabeth! A criança se transforma mesmo. Nem parece o seu filho, não é? Aconteceu muito comigo. Também cheguei a pensar se ela estava com algum distúrbio. Mas não, é a fase das birras que desafia a gente. Mantenha a calma e a firmeza! Você é quem comanda. Vai passar!

  4. Bruna disse:

    Hoje foi uma das tantas crises que temos por aqui, meu filho ta com 2 anos e 9 meses, e ta nessa fase desde os 1 ano e pouco.
    Quando ele é contrariados ele cospe, bate e se morde, se eu tento segurar ele, ele se joga no chão, eu seguro o braço dele falo que não pode, mas não adianta, ele faz, e joga o que tiver na mao, e faz cara de bravo, e ainda resmunga como se tivesse me dando uma bronca, a vontade na hora é de chorar, gritar, bater, sair correndo, tudo junto, eu me controlo, mas hoje peguei ele maos forte pelo braço, eu não conseguia sorrir para ele, era como se eu não estivesse gostando dele naquela hora foi horrível, me sinto mal, muito mal, como se eu não fosse uma boa mae, por sentir isso, eu o amo, mas quando ele faz isso é como se eu não gostasse tanto assim. Me ajudaaaa…

    • Luciana Novellino disse:

      Bruna, eu também sentia isso!! A minha filha teve uma crise dos 2 anos braba. Cheguei a achar que teríamos sempre uma relação difícil. Mas não! Quando ela fez 3 anos tudo melhorou. E hoje, com 4 anos, é obediente e carinhosa. Não tem mais nem vestígio da crise dos 2 anos. Segura firme que vai melhorar!!

  5. Netyy disse:

    Boa noite!!
    Gente mim ajudem!
    Minha filha tem 2a e7m,ela teima muito,não dorme durante o dia,não para quieta,mexe com tudo que não pode,e o pior de tudo eu sou muito estressada,agora acho q to sofrendo de meno pausa,tenho 32,mais quando esta perto do período menstrual fico muito aborrecida e minha filha colabora o máximo, ja não sei oq fazer!!

    • Luciana Novellino disse:

      Nety, sei exatamente o que está passando. Minha filha não dormia durante o dia (mesmo quando bebê, raramente tirava sonecas longas). Nessa idade ela me testava o tempo todo, e eu não a pessoa mais paciente… A coisa mais importante é manter a calma, porque essa fase dura alguns meses. Sei que é muito difícil, mas no momento mais estressante é bom fazer um esforço e pensar em algo bom, fechar os olhos, sentar e esperar a irritação passar. Até porque brigar com a criança nessa fase não surte muito efeito, veja no post as dicas de como proceder durante as crises de birra.

  6. Elaine Sousa disse:

    Olha o meu filho tem 2 anos e assim não está façil pois ele é muito agitado não fica quieto pra nada sobe em tudo .. recebo reclamações sempre da escola… q ele bate nos colegas.. joga brinquedos nos colegas.. hoje fui na escola de manhã em uma reunião.. a professora me disse q ele jogou um brinquedo e acertou a janela e quebrou o vidro .. daí de lá chorando… não é fácil.. ainda mais q eu tenho 3 crianças.. tem dias q fico quase doida..

  7. Daniele Santos disse:

    Gente mas será possível eu estar passando com meu Miguel por esta fase já aos 1 ano e 3 meses? Nossa essa semana do Nada ele transformou! Bira quando ouve um Não pode, chora, esperneia, joga as coisas no Chão e até se joga no chão 🙁 ele era tão bonzinho e agora assim do nada quer tudo do jeito dele :'( tenho medo dos 2 anos piorar meu Deus ! Esta impossível de lidar eu estou muito cansada e na verdade esgotada! Ele só quer colo e colo e não me deixa fazer nada e antes era tudo diferente! Sempre assistiu e brincou muito , agora saio de perto e ele vem chorando e gruda nas minhas pernas pra eu o pegar no colo.. até a fralda ele não quer me deixar por nele, mede forças comigo e com o Pai 🙁 será que tão pequeno e já tá nessa Crise? Aja Paciência né 🙁

    • Luciana Novellino disse:

      Oi Daniele! Minha filha começou com 1 ano e 6 meses, fazendo tudo isso que seu Miguel faz… A gente fica muuuito cansada mesmo. Então é legal conseguir um tempo para distrair a cabeça, sem o bebê. Deixa com seu marido umas horas e vai fazer algo que goste… A gente precisa aprender a se proporcionar esses momentos, porque nós precisamos! Já com o meu segundo filho (que faz tudo isso), eu levava com mais tranquilidade porque sabia que não precisava corrigir aquele comportamento naquele momento. A gente precisa manter a calma, não ceder aos caprichos, e ter paciência durante os meses difíceis. Mas vai passar!!!

  8. Tábata disse:

    Olá, sou mãe de dois também. Meu filho mais velho está com 2a8m. E não sei se ainda continua nessa fase ou se é ciúmes da irmã de 8m. Se jogar no chão ele parou, mas ainda grita muito. Antes ele arrancava o próprio cabelo e comia, agora ele se morde quando está muito estressado. (Se morde a mão). Tento ser a mãe mais paciente do universo, tento dar o máximo de atenção, mas tem dias que só quero que chegue a hora de dormir pra ver se no outro dia fica mais fácil rsrs.

    • Luciana Novellino disse:

      Oi Tábata! Seu filho mais novo tem que idade? Será que o nascimento do irmãozinho juntou com a fase dos 2 anos? Aqui foi assim. Minha filha tinha 1 ano e 10 meses quando o irmão nasceu, então não sabia onde terminava a crise dos 2 anos e onde começava a reação à divisão do espaço. Mas de qualquer maneira, o mais velho vai aprender que o novo irmão não divide somente seu espaço, mas também vai se tornar um amigo de brincadeiras e bagunças.

  9. Edina disse:

    Boa noite
    Meu filho tem dois a os e dois meses. Tá na fase das mordidas e pra completar? Tá xingando aquela palavra pu.a! Tá pirracento grita, e joga tudo no chão! Ele já está na creche já recebo vários bilhetes dele de mordida, cheguei a chorar de vergonha ou por pensarem que não dou educação ao meu filho. Eu converso, o repreendo mais é uma fase muito difícil.

  10. janafisio_@hotmail.com disse:

    Olá meu filho de 1 ano e 11 meses começou agora com essa fase ! Jesus me dê paciência !!! Terrível, chora até 1 hora gritando mamãe e tem uma força que não sei de onde sai, quer que eu fique com ele no colo de pé um horror, hoje ele me mordeu ! Mostrei pra ele e falei que ele tinha feito errado e ele parou de chorar na hora, até me deu beijo ! Nossa não é fácil, estou até com urticária de tão nervosa que fiquei, tomara que passe logo mais essa fase ! Bjos e obrigada

    • Luciana Novellino disse:

      Oi Jana! É comum eles morderem ou baterem na gente. Nessa hora a gente deve segurar o bracinho deles antes que nos atinjam, explicando que aquilo não é legal e não te deixa feliz. Nos momentos em que ele cooperar, lembre de elogiar sua atitude, dizendo como você fica feliz quando ele ajuda a mamãe e obedece. Eles adoram agradar os pais, embora não pareça muitas vezes.

  11. Cleia disse:

    Minha filha era bastante tranquila. Agora com um ano e dez meses a coisa mudou. A briga começa pra vestir roupa, pra sair do banho e daí por diante. A gente se sente frustrada mesmo. Espero que essa fase passe logo. Obrigada pelas dicas.

    • Luciana Novellino disse:

      Oi Cleo! Eu tinha esse mesmo problema no banho. Passa mesmo! E vou te falar, depois que passa a gente até fica surpresa com a tranquilidade… quer dizer, eles fazem birras quando crescem, mas nada que se compare a essa verdadeira tempestade dos 2 anos. Fica firme que você não é a única, vai melhorar! 😉

  12. Bia disse:

    Oi Luciana…tenho uma filha de 2 e 8 meses…sempre foi um amor em todos os sentidos, porém de uns 2 meses pra cá… minha vida esta um verdadeiro inferno na maior parte do tempo. Digo isso pq toda semana sou semana na escola, por causa das birras dela e malcriações… tenho que lidar com o mau do meu marido (que mesmo indiretamente sempre me culpa / me acusa por não ter batido desde cedo – qdo começou).. Ele tem 3 filhos adultos já e são simplesmente fantásticos… a primeira filha deu trabalho assim como essa nossa… mas até ele fala que ñ foi tanto desse jeito. Várias vezes perdemos a paciência e acabamos batendo, mas me sinto um trapo quando isso acontece. Conversamos firme com ela, ela entende responde bonitinho…diz que não vai acontecer e de repente, põin lá vem de novo a irritação, gritaria, chororô, desobediência. A escolinha fez um relatório de comportamento pra eu levá-la na psicóloga e pra minha surpresa, a Dra.disse que ela não tem nada errado, ela esta nessa fase de testar…etc, expliquei na escolinha e eles compreenderam… e hoje, fui deixá-la na escolinha e ela não queria sair do carro, depois de conversar, conversar e conversar ela desceu…mas no meu colo… a diretora veio buscá-la, entrou tranquila, sem problemas… Liguei no almoço pra saber se ela estava bem, eeeee fui convocada pra reunião de novo, devido ao mau comportamento dela. Tô muito chateada, tô pensando em cortar desenhos (ela ama ladybug) mas ñ deixo assistir todo dia… sempre damos atenção a ela, não brigamos em casa, não discutimos, não falamos alto… tratamos de questões domésticas / contas / etc depois q ela dorme… não dá pra entender o porquê desse comportamento. Não sei sinceramente o que fazer…

  13. Cristiane disse:

    Nossa, fiquei com dó da Thiene Nunes… vc respondeu a todos os comentários, menos o dela….

  14. Daiana Ferreira disse:

    Olá, meu primogenito tem 2 anos e 2 meses. Ele esta numa fase de querer assistir Toy Story, Shrek e outros desenhos o dia todo. O problema é que se tornou dono da TV e quer ver a toda hora, o tempo todo. Quando queremos ver Tv ele da o maior show e faz muita, mas muita birra. Fica super nervoso, diz nao bem alto quando tentamos puxa-lo ou conversar, e nao aceita que passe mais nada na tv. Ja acorda pedindo para assistir. Antes, ele nao para 1 segundo sequer, nao via tv, nao queria comer, era so bagunca o dia todo, escalando moveis, jogando coisas, rasgando documentos, quebrando, ai o pai apresentou esses desenhos e ele foi acostumando a sentar pra assistir, mas com um tempo ficou esse desastre! SOCORRRO!

    • Luciana Novellino disse:

      Oi Daiana! Uma coisa importante é saber que quanto mais cedemos, pior a situação fica. Muitas vezes eu ia cedendo para evitar o “show”, mas minha filha ia ficando cada vez mais irritada e desrespeitando os limites. Um dia cheguei e falei: “Filha, não pode fazer isso, isso e isso. A partir de agora você não vai mais ver televisão o tempo todo. Agora você pode ver 30 minutos, e depois disso o papai vai ver o programa que ele quiser, e nós vamos ler um livro.” Tem que falar com segurança e firmeza, mostrando que você define os limites.

  15. Regiane disse:

    O artigo caiu como uma luva aqui.
    Acabamos de passar por mais uma crise e confesso, dessa vez eu tive momentos de descontrole e vontade de chorar!
    Acontece sempre na hora do banho, não importando o momento que eu o leve para o banho, ele chora e
    Diz que não quer banho. Aí tento ter paciência e consigo levá-lo. Depois o choro é maior quando o tiro do chuveiro, e ele grita que “quer tomar banho de novo”!!!!

    Hoje, com compromisso, ignorei um pouco o que ele me dizia, dei banho e o troquei com gritos e
    Mais gritos.

    Ele dormiu depois de tanto chorar. Está dormindo e soluçando e eu…. me sentindo uma péssima mãe….

    Ele tem 2 anos e 5 meses.
    Alguma dica para melhorar a
    Birra do banho?

    Obrigada!

    • Luciana Novellino disse:

      Oi Regiane! Primeiro, me solidarizo totalmente com você! Que mãe nunca se sentiu falhando… mas tente lembrar que você faz o máximo que pode, e por isso não deve se culpar. Você pode conversar no começo do dia, avisando do banho na hora usual. Por exemplo, de manhã fale que o banho será às 17h, que você fica feliz quando ele ajuda e não chora. Na horado almoço, repita. Quando faltar 15 minutos para o banho, lembre que está chegando a hora do banho, e que é legal quando ele ajuda nessa hora. Eu uso isso até hoje, com a minha filha com 4 anos. Depois me conta como foi!

  16. Ana Paula Reis disse:

    Olá Draª ! Nossa, minha filha de 2 anos e 2 meses esta assim, começou a pouco tempo e como é difícil! Ela tem essas crises inclusive a noite, acorda de madrugada e vai até ao amanhecer, fico exausta e vou trabalhar, além de cansada , frustrada, pois nada que tento fazer para encerrar a crise melhora … minha filha mais velha de 4 anos não teve isso, então estou totalmente perdida, mas agora que vi que isso acontece com outras crianças e que passa, estou mais tranquila, só me preocupa a questão dela não dormir direito, mas vou esperar ansiosamente essa fase passar!

  17. Kezia souza disse:

    Oi achei que ou minha filha era anormal ou eu sou a pior mãe do mundo por não saber que essa fase existia . estava acabando agindo como ela por não saber o que fazer e tendo explosões
    também o que só piora tudo. Mas o problema e que ela não obedece nada que falo e faz coisas só pra me provocar eu fico louca e ela sabe disso não sei mais o que fazer Socorro.

    • Luciana Novellino disse:

      Kezia, pode não parecer mas ela está aprendendo sim tudo que você tem ensinado. Mas essa fase é de testes, eles testam nossa paciência e limite. Pensa que em alguns meses vai passar. Respira fundo!

    • Priscila Mendes disse:

      Tenho recebido reclamação do meu filho todo dia, o mesmo tem sido agressivo com os amigos na escola por disputa de brinquedos, e quando a professora vai separar o aluno do meu filho ele bate nela também, e a reclamação sempre é, seu filho me bateu quando fui falar com ele, agora em casa ele não tem esse comportamento, pois como os brinquedos são só dele, ele é tranquilo, como fazer quando em casa tem um comportamento e na escola outro? E como vou trabalhar a partilha com ele ? Ele não aceita ser contrariado, preciso de um auxilio de como trabalhar partilha com crianças que só tem adultos como referência. Estou pensando até em tirar ele do maternal, pois esse comportamento apresentou depois que foi para a creche, ele tem 2 anos e 7 meses. A professora fala, mãe conversa com seu filho, mas com coisa que eu não converso, todo dia eu falo com ele sobre isso, que não pode, que tem que dividir o brinquedo, mas parece que não resolve só falar, e eu sinto que ela pensa que não estou nem aí, o que não é verdade.

      • Luciana Novellino disse:

        Oi Priscila! Entendo totalmente sua angústia. Minha filha mordia quando disputava brinquedos. Acredito que a solução não seja tirar seu filho da escola. Quando ele bater, segure a mão dele e diga “NÃO”, no dia que a professora falar que ele bateu, diga que não vai fazer algo que ele goste. Por exemplo, naquele dia depois da escolinha ele não poderá brincar de massinha porque bateu no amigo. Uma coisa que eu percebi é que nossas angústias deixavam minha filha agitada. Mesmo um problema no trabalho que não falava perto dela, parece que a atingia. Crianças são muito sensíveis e percebem até nossa expressão de preocupação, nosso batimento cardíaco acelerado, tudo. Então vale também observar se alguém na sua casa está estressado com algo. A gente não consegue impedir o estresse, mas podemos tentar tirar da cabeça quando voltamos para casa.

  18. Renata disse:

    Olá a minha pequena tem 2 anos e um mês e está na fase do não, e chora descontroladamente quando quer fazer algo e é contrariada, as vezes até pra sair de carro não quer ficar na cadeirinha, fico tão triste me sinto inválida de ver os ataques de fúria dela. E ela só tem carinho! Isso tem que passar.

    • Luciana Novellino disse:

      Oi Renata, sei exatamente o que sente. Tipo “o que estou fazendo de errado?” A gente dá o nosso melhor aos nossos filhos. Mas essa fase não vai demorar muito. Logo ela será sua amiga, como é uma filha que é tratada com carinho em casa.

  19. Junior disse:

    Ola, parabéns pelo artigo e direcionamento q esta dando aos pais. Quando a crise começa por contra da criança ser contrariada e depois de 5 minutos o descontrole da criança e total, o q de fato é melhor fazer? Tenho usado a tecnica de ignorar, fico no quarto ao lado dela mas sem reação ao q esta acontecento. Porem parece q o desespero da criança aumenta ainda mais pois faz de tudo pra chamar a atenção. Esse ignorar por completo pode ser tambem entendido como uma ironia ou descaso aonde a angustia e insegurança tendem a aumentar ? Confesso estar um pouco perdido e clm duvidas de como devo me comportar diante dos fatos

    • Luciana Novellino disse:

      Oi Junior! Eu tentei todas as técnicas. Eu vi que estar ao lado dela, mas sem demonstrar irritação (como tantas vezes eu já fiz, até me convencer que só piorava as coisas), é a maneira menos traumática de passar por uma crise. A crise não cessa rapidamente por isso, mas quando reagimos brigando ou com irritação, aí sim aumenta muito. As crianças percebem tudo ao seu redor. Pais amorosos, presentes e responsáveis geram crianças seguras. Esses momentos difíceis são mais frequentes nessa época da vida mas não vão definir a relação de vocês. Tenho certeza que fora das crises vocês se relacionam com muito carinho e confiança, não é? É isso que torna nossos pequenos seguros.

  20. Jéssica De Almeida Ferreira disse:

    Olá , bom pelo visto meu filho acaba de chegar a essa fase . Meu filho tem 2 anos e então hoje ele teve uma crise na qual eu não suportei e chorei desde então fui procurar dicas de como lidar com essa situação e encontrei seu post , vou utilizar e ver se vai funcionar pois não quero me julgar uma péssima mãe , porque foi assim que me senti.

    • Luciana Novellino disse:

      Jéssica, quantas vezes eu chorei nessa fase… Sentia irritação, vergonha, culpa (porque muitas vezes eu perdia a paciência com a minha filha). Depois de muito me irritar, eu assumi a seguinte postura: diante de uma birra, respirava fundo e só olhava. Depois da crise falava que não ficava feliz com esse comportamento, e a abraçava, porque a criança fica muito sentida também com a falta de controle. Minha filha tem hoje 4 anos, e tudo isso já ficou para trás. Mas o que aprendi nessa época e incorporei à minha vida é: sempre respirar fundo, mentalizar algo que me dê forças (tipo: Deus, me dá paciência!), porque os pais precisam ter o controle da situação, já que a criança não tem maturidade e precisa ser orientada.

  21. Thiene NUnes disse:

    Minha filha tem dois anos e seis meses… Ontem era meia noite e ela não queria parar de ver videos de massinhas pela internet! Hoje moro com meus pais, e eles permitem esse exagero. Não temos mais rotina para dormir quando tinhamos na nossa casa. Desliguei o celular ( que é do meu pai, pois o meu eu não permito que mexa) e ela começou a gritar, me chutar e me deu tres mordidas que ficaram roxas e inchadas. EU ESTOU DESESPERADA PQ NÃO SEI MAIS O QUE FAZER!!! Ela se joga no chão na rua, no shopping, no restaurante, é só ouvir um NÃO. Não reconheço minha filha. Fico com muita raiva e me sinto culpada por sentir isso pela pessoa que mais amo no vida.

    • Luciana Novellino disse:

      Oi Thiene! Desculpe a demora, foram muitos comentários e acabei não vendo o seu. Essa fase pode ser muito difícil. Em alguns momentos parecia que não era minha filha… uma vez até entrei no chuveiro com ela de roupa e tudo para ver se a acalmava, porque ela não parava de se debater e eu não sabia mais o que fazer. Algumas crianças têm uma fase mais leve, mas o importante é saber que é uma fase e vai passar. Tenta manter a calma porque quando perdemos a paciência nos arrependemos muito depois.

  22. ALLINE ALVES DE SOUSA disse:

    MEU FILHO TEM 1 ANO 6 MESES, ELE FICA MUITO IRRITADO AS VEZES BATE A CABEÇA NA PAREDE, ESTOU MUITO PREOCUPADA COM ISSO . NÃO SEI MAIS O QUE FAZER!

    • Luciana Novellino disse:

      Oi Aline! Antes de mais nada, entendo perfeitamente sua angústia. Lembro que na primeira crise da minha filha, achei até que ela tivesse uma doença neurológica começando, de tanto descontrole. Algumas crianças (como a sua e a minha) passam por essa fase com momentos meio agressivos, mas é decorrente da crise que vivem, que resultam numa “tempestade cerebral”. É coisa demais para elas lidarem, e sua imaturidade resulta nisso. Acho que o mais importante é você saber que é uma fase, e que precisa respirar fundo no momento da crise. Porque muitas vezes a gente precisa observar a crise parar, apenas cuidando para que a criança não se machuque. Fiquem bem, se quiser conversar estamos aqui! Abraços

  23. Gabrielle disse:

    Hoje minha filha de 2 anos fez birra querendo assistir peppa pig na hora de dormir. Eu não coloquei e imediatamente ela começou a gritar “dormir não quero assistir peppa pig”, ela repetiu essa frase por uns 15 minutos sem parar aos berros. Acendi a luz e comecei a falar de outro assunto é ela me olhava parecendo que não estava vendo nem entendendo nada, parecia estar em transe. Até que depois de uns 5 minutos voltou ao normal conversou e ficou brincando com a bonequinha na cama. Fiquei assustada com o estado dela,isso é normal? Após crises a criança pode desligar-se do que acontece ao redor?

    • Luciana Novellino disse:

      Gabrielle, algumas dessas crises são tão intensas que parece que estão em transe mesmo. Por isso digo que elas não são assim, elas estão assim. Como decorre da imaturidade e dificuldade em lidar com as emoções, não tem muito sentido mesmo suas reações. Você viu que sem brigar com ela, a crise passou. É diferente de uma malcriação que uma criança de 3 ou 4 anos faz, em que você consegue dialogar com ela. Fica tranquila que se você está conseguindo manter a calma, já está fazendo muito bem.

  24. Geisiane disse:

    Estou vivendo essa fase. Mas está insuportável. Estou me sentindo mal como mãe, mal como esposa e mal como mulher. Minha filha completa 2,4 meses essa semana e aos finais de semana que fica comigo, não tem outra companhia se não eu e o pai, e com tantos afazeres domésticos que sobram dessa jornada tripla, pouco sobra de tempo pra ela. E as birras só estam aumentando ao ponto de eu ter vontade de sumir. Já tentei seguir esse passo a passo nas últimas 3 semanas mas a crise tá piorando. Ontem no domingo eu quase tive um troço. Tive uma enorme vontade de bater, mas me controlei como sempre faço. Respirei fundo, passou após as 22h quando ela foi dormir e eu agradecida pois é mais fácil trabalhar de 7h as 19h de seg a sexta do que esses dois dias de luta dessa fase. Sei que é fase, mas eu não consigo pensar em outra coisa se não a de que eu sou uma péssima mãe. Eu eu fico frustrada. Muito frustrada… Desabafo. Nem sempre temos com quem falar a respeito

    • Luciana Novellino disse:

      Oi Geisiane! Sei muito o que você está sentindo. Eu me sentia uma péssima mãe quando as crises dos 2 anos começaram (começaram aos 1 ano 6 meses), porque minha filha tinha crises de birra diante das pessoas e porque eu ficava extremamente irritada e sem paciência. Eu dizia exatamente o que você diz: é mais fácil trabalhar que ficar em casa. Em alguns momentos eu detestava os finais de semana, e me sentia péssima por sentir isso. Mas hoje que passou, posso dizer que o melhor a fazer é observar a crise e manter a calma, seja fazendo uma oração ou cantando uma música. Isso já é uma grande coisa. Quando ela crescer, tiver 3 ou 4 anos, as malcriações serão mais administráveis, porque a criança entenderá mais. Pode desabafar aqui, te entendo totalmente! Aqui não tem julgamento.

    • Ivonete disse:

      Nossa me senti no seu lugar , estou muito triste, frustrada , não sei mais o que fazer , e minha filha ainda tem muita dificuldade de relacionamento com o pai o que me entristece mais , também queria desabafar

      • Luciana Novellino disse:

        Ivonete, as relações com os pais vão se ajustando. Precisamos lembrar que nós somos os adultos, e que as dificuldades que aparecem podem ser contornadas, mas é preciso que a gente tenha muita paciência. Pode desabafar, estamos aqui!

    • Hellen disse:

      Parece que vou entrar em depressão!

      Minha filha tem 2 anos e 5 meses, e está em uma fase complicada, além das birras, ela nos contraria o tempo todo, só a opinião dela tem que prevalecer. Me sinto tão irritada que brigo, grito, ignoro, mas nada adianta. Pra piorar nos mudamos de cidade á 2 meses, ela trocou de escola e agora começou o desfralde.
      Na primeira semana do desfralde foi super tranqüila ela ficava feliz em ir fazer xixi e cocô no piniquinho, mas agora não quer ir mais e faz na calça como se fosse pra irritar. Me culpo o tempo inteiro, pois acho que sou uma péssima mãe, as vezes parece que eu e minha filha não temos uma boa relação, não sei mais o que fazer…

      • Luciana Novellino disse:

        Hellen, lendo sua experiência me lembrei exatamente o que passava… Lembro de dizer isso, que parecia que eu e minha filha não tínhamos uma boa relação, e isso me chateava muito. Ela tem temperamento forte até hoje (está com 4 anos), mas essas birras diárias não existem mais. Na fase dos 2 anos eles de fato nos contrariam em tudo, querem exatamente o contrário do que dizemos. Com certeza a mudança de cidade e escola dificulta um pouco mas as crianças se adaptam muito rapidamente, fique tranquila quanto a isso. E quanto ao desfralde, algumas mães me contavam que seus filhos faziam xixi no tapete da sala e ficavam rindo para a mãe, como se fosse para afrontar mesmo. Então você pode ver que todas passamos por isso, o mais importante é manter a calma, não ceder nos momentos de birra, e ter paciência que essa fase vai passar.

  25. Tatiana disse:

    Olá, também estou passando por isso agora, esta bem complicado, mas sei que é só mais uma fase e precisamos ter calma mesmo sendo super difícil… esse tipo de comportamento costuma se amenizar próximo dos 3 anos? Obrigada! Bjo

    • Luciana Novellino disse:

      Oi Tatiana! Quando li sua mensagem me lembrei de como eu odiava quando alguém dizia que era só uma fase. Eu perguntava: “mas vai passar quando??”. rs Aos 3 anos melhora muito, muito mesmo. As malcriações existirão (até adulto faz, não é? rs), mas serão muito mais fáceis de lidar porque serão mais racionais. A criança de 2 anos (minha filha começou com 1 ano e 6 meses) não consegue se expressar e não entende suas emoções, daí resulta esse caos emocional. Mas vai passar sim.

  26. Eliane disse:

    Muito obrigada pelas dicas!!!
    Meu Lorenzo está com 2 anos e 7 meses, até 15 dias atrás ele era um anjo! Agora, cheguei a pensar em problemas emocionais ou psicológicos … está muito tenso, as crises são exatamente as descritas acima! Só espero que passe logo, queria meu bebê bonzinho de volta

    • Luciana Novellino disse:

      Oi Eliane! Então você teve sorte, minha filha começou com 1 ano e 6 meses! :-O Seu filho não é assim, ele está assim. Logo voltará a ter o jeitinho de antes, porque essa fase de imaturidade e dificuldade em entender as emoções vai passar.

  27. Vivilene Filete disse:

    Minha filha tem 1 ano e 10 meses, desde de 1 ano e 6 ela começou com pirraça, birra, se joga no chão quando eu falo que não, fico sem saber o que fazer, ela não me obedece e ainda me provoca, só Jesus. Peço muita calma a Deus e espero que essa fase passe logo, pois não aguento mais.

    • Luciana Novellino disse:

      Vivilene, nesse momento difícil tenta observar só, e tenta fazer algo que te dê tranquilidade, tipo cantar uma música ou fazer uma oração. Eles realmente não entendem no momento da birra, só toma cuidado para seu filho não se machucar quando se joga no chão. Quando passar por isso, pensa que você não é a única, e que se todos melhoram, porque seu filho não vai melhorar também né? Força aí, qualquer coisa estamos aqui! Abraços

  28. Fernanda disse:

    A minha está com 1 ano e o 8 meses e começou a se jogar no chão e agora deu para fala não nas refeições, ela sempre foi tranquilinha mas caramba agora me da um baile. Obrigada pelas dicas. Abraços

    • Luciana Novellino disse:

      Oi Fernanda! Olha, minha filha nessa fase só comia arroz, acredita? Não adianta insistir, ela não aceitava nada diferente. Depois voltou a comer de tudo. Parece que tudo é para se impor diante dos pais. Mas não pense que ela ficará assim, continue mostrando o que é certo, e daqui a uns meses ela vai entender o que vocês dizem, e vai ficar muito mais fácil. Abraços!

  29. Fabiana Martins disse:

    Ola, meu filho esta nessa fase de birras , ele ta com 2 anos e 2 meses. Nunca chorou pra entrar na escolinha agora fica aos berros e fala que nao quer ir pra escola. Pra tudo fala não. E qdo falamos nao pra ele ou que nao pode ele chora. Tem dia que parece que vou enlouquecer.

    • Luciana Novellino disse:

      Fabiana, o que você está passando é tudo que ocorre na crise dos 2 anos. Com a minha primeira filha foi muito difícil também. Mas pense que é comum no desenvolvimento deles, e vai passar.

  30. Aline Castilhos Da Silva disse:

    Estou passando por isso é esta mto complicado . Quanto mais se tenta consertar , piora.Aline

    • Luciana Novellino disse:

      Oi Aline, sei bem o que está passando… Agora meu segundo filho está nessa fase. Mas acredite, vai passar. Tente lidar com as dicas que eu dei, mas algumas situações são difíceis mesmo. Obrigada pela visita, continue nos acompanhando! Abraços

  31. Viviane Alves disse:

    Nossa oq tenho a falar é a palavra “Desespero” meu filho tem todas essas crises durante o dia e agora de madrugada tbm eu estou exalta mto exalta mesmo o pai nem se quer abre o olho aff.
    Vou comer a seguir as dicas eu amei espero q me ajude eu preciso
    Obrigada!

  32. […] Você já viu nosso post com dicas de como lidar com essa fase?  […]

  33. Grazielle disse:

    Obrigado, pelas dicas procurei livros que falam a respeito mas não encontrei, mas creio que ajudará estás dicas.

    • Luciana Novellino disse:

      Oi Grazielle, eu também pesquisei muito sobre o tema. O mais importante é entender que a própria criança se sente perdida durante a birra, e precisamos tentar manter a calma nesses momentos. E tudo passa! Abraços

  34. […] Quem tem filho já deve ter passado por essa situação: seu filho no chão fazendo birra e as pessoas ao redor analisando a mãe. “Ela vai ignorar e ser uma mãe insensível? Ela vai ignorar e ser uma mãe sem pulso? Ela vai brigar e ser uma mãe agressiva e impaciente?” De qualquer maneira seremos julgadas, provavelmente de forma dura e parcial. Mas isso não te define como mãe. Criar uma pessoa é missão das mais difíceis (digo que a prova da maternidade é mais difícil que todas as provas que já fiz de medicina). Então, com birra ou sem birra, não deixe que julgamentos alheios te desmereçam como mãe. Você provavelmente é uma mãe muito melhor do que pensa. Tem uma frase do livro da psicóloga Elizabeth Monteiro, que diz: “A saúde de uma criança é medida pela qualidade dos vínculos afetivos existentes no ambiente em que ela vive.” Esse conceito me norteia nos momentos de crise em que parece que tudo está fora de ordem. E sabe aqueles gritinhos de alegria que seu filho dá enquanto brinca? Então, é isso. Já viu nosso post sobre a crise dos 2 anos?  […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *