Filhinhos da Mamãe

Guia Sobre Infância
MENU

Cuidar do seu bebê é o melhor estímulo

image

O “Center on the Developing Child” é um centro da Universidade de Harvard, cuja missão é levar inovações científicas que consigam ajudar crianças que passam por dificuldades. Esse centro procura usar seus conhecimentos para garantir um futuro melhor para o mundo através de um maior investimento em suas crianças. Esse centro disponibiliza em seu site informações científicas sobre o desenvolvimento das crianças, que vamos abordar agora.

 

Como estimular nossas crianças

A melhor forma para estimular o desenvolvimento cerebral dos bebês é pelo cuidado e interação atenciosa entre os cuidadores e a criança. Não há dados científicos confiáveis que confirmem o que diz a indústria de brinquedos infantis, quer dizer, não se confirmou ainda que vídeos especializados ou certas músicas tenham um impacto no desenvolvimento cerebral nos primeiros 2 a 3 anos de vida. Porém, muitas experiências podem estimular a leitura nos anos da pré-escola e nos anos seguintes.

 

Interações entre cuidadores e bebês

Quando uma criança emite sons, faz gestos ou chora, e um adulto responde com contato visual, palavras ou um abraço, conexões cerebrais são construídas e fortalecidas no cérebro da criança, contribuindo para o desenvolvimento de habilidades de comunicação e socialização. Quando os cuidadores são sensíveis e atenciosos em relação aos sinais e necessidades da criança, eles propiciam um ambiente rico em experiências de interação positiva.

 

Quando falta interação entre cuidadores e bebês

Isso é uma ameaça séria para o desenvolvimento e bem-estar da criança. A saúde da arquitetura cerebral da criança depende de relacionamentos com adultos atenciosos e amorosos. Se o adulto não dá a atenção necessária aos sinais da criança, a arquitetura cerebral em desenvolvimento da criança pode ser afetada, podendo prejudicar sua saúde física, mental e emocional.

 

E quando o cuidador dá menos atenção em momentos eventuais?

Provavelmente não prejudicará o desenvolvimento da criança. Se momentos eventuais de pouca atenção acontecem num ambiente normalmente pleno de amor e atenção, não há necessidade de se preocupar.

 

 

Luciana Novellino

Luciana Novellino

Médica, mãe de dois. Apaixonada pela família e buscando vivenciar a maternidade com alegria, mais leveza e menos cobrança.
Luciana Novellino

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *