Filhinhos da Mamãe

Guia Sobre Infância
MENU

Um passeio inesquecível em Minas Gerais

Tags:, , , , , ,

Inhotim-Filhinhos-da-mamãe-612x250
Nossa mais nova viagem foi espetacular. Amamos tudo! Eu tinha um compromisso em Belo Horizonte e, como meu menino ainda mama no peito, tivemos que ir todos (meu amado, minha pequena – 2 anos e 8 meses – meu príncipe – 6 meses – e eu). Já que estaríamos aqui, resolvemos que conheceríamos dois lugares que estavam em nossa lista de desejos há tempos: Inhotim e Ouro Preto.
Mas BH por si só já foi uma agradável surpresa.

Já no aeroporto: o primeiro de muitos pães de queijo da viagem

Apesar de grande, achei a cidade bem acolhedora e bonita. Não tivemos muito tempo livre na cidade, mas conseguimos ir a alguns lugares bem legais.

Amei de paixão e fiquei muito orgulhosa de termos um museu de tanta qualidade como o Memorial Minas Vale. Imensamente bem cuidado e de graça. Não é atração para criança pequena, mas, para nossa sorte, os nossos dois dormiram no carrinho e tivemos a chance de poder curtir um pouco de um programa de adulto. O prédio é lindo. Para quem tem um mínimo de apreço à História do Brasil, vai se deleitar com as exposições. A sala do fotógrafo Sebastião Salgado foi uma das minhas preferidas. Impossível não se comover com o sofrimento que suas fotos conseguem captar. Para completar, o Memorial fica bem em frente à linda  Praça da Liberdade . Um local excelente para relaxar. Minha filhinha adorou correr livremente por ali e meu bebê amou os chafarizes.

Memorial Minas Vale

Prédio do Memorial Minas Vale

Praça da Liberdade

Memorial Minas Vale: impossível não se comover com o sofrimento que as fotos de Sebastião Salgado conseguem captar

Memorial Minas Vale

Memorial Minas Vale

Gostamos  também do Mercado Central. Regime zero! Compramos um monte de provolone tipo chips e doce de leite de tudo que era modo. Bom demais!
Ficamos em dois hotéis excelentes em BH. Recomendo com certeza ambos: um onde foi meu congresso, o Ouro Minas Palace e o outro que ficamos só duas noites (por falta de vaga no primeiro): o Royal Golden Hotel, mas que foi muito bom e mais bem localizado que o Ouro Minas (e mais barato). Gostei muito do Royal Golden. A localização é excelente. Perto de bares, restaurante, supermercado… fácil para sair da cidade para partir para Inhotim e Ouro Preto, se não fosse pela maravilhosa piscina aquecida do Ouro Minas, não deixaria nada a desejar.
Bom, congresso terminado, estávamos livres para curtir Minas Gerais. Dedicamos um dia ao maravilhoso Centro de Arte Contemporânea de Inhotim , que fica na singela cidade de Brumadinho.

A impressão que dá é que Inhotim é como essas coisas tipo pirâmides do Egito, Linhas de Nazca… aquele cara do programa Alienígenas do Passado, do History Channel certamente diria: Não há dúvidas: Inhotim foi construído por alienígenas!

 

Centro de Brumadinho


É impressionante, que no meio de uma estrada simples em uma cidade absolutamente bem, como posso dizer? Bem, bem singela,  como Brumadinho, exista um local tão surpreendente como Inhotim.

Não há dúvidas: Inhotim foi construído por alienígenas!

Brincadeiras à parte, Inhotim é fruto de muito trabalho e coragem. É um lugar de dar muito orgulho. Confesso que algumas obras são contemporâneas demais para meu antiquado gosto por arte. Mas o local é sem comentários. O paisagismo é de impressionar. Lindo de verdade e extremamente bem cuidado.

Inhotim: um espetáculo!

Troncos que são um convite ao descanso e contemplação

Paisagismo maravilhoso e obras de arte por todos os lados em Inhotim

A árvore suspensa – obra de arte no meio do nada. Assim é Inhotim

Paradinha para descansar em um dos muitos bancos maravilhosos esculpidos em troncos gigantes

Vai para Inhotim? Onde ficar? Em Brumadinho ou BH?
Quando pensamos em ir para Inhotim, tive muitas dúvidas: ficaria em BH ou ficaria em um hotel em Brumadinho? Iria de ônibus de BH ou alugaria um carro?
Tinha lido que a estrada à noite para Brumadinho poderia ser muito confusa para quem não conhece (pensei: chegar pela manhã em Brumadinho, achar o hotel, fazer o check in, descarregar o carro… só aí já tinha perdido um tempão até chegar ao parque). Também vi que a cidade não tinha muita estrutura (com um bebê pequeno, mesmo sendo médica me sinto mais segura em centros maiores). Os hotéis que procurei que eram mesmo perto de Inhotim não pareciam ser muito confortáveis. Hotéis legais (tipo a Estalagem do Mirante), pareciam românticos demais e não muito atraentes para crianças, além de serem caros e distantes. Encontrei hotéis fazenda legais, mas quase não desfrutaria das diversões porque sabia que passaria o dia todo no parque.
Considerando tudo isso, concluí: o melhor para quem vai visitar Inhotim por só um dia é mesmo sair de BH por volta das 8h, de carro alugado, necessariamente pela BR 040, que é linda (obs: certifique-se que seu GPS está programado para ir e voltar pela BR 040, o outro caminho é muito, muito feio – na volta nos distraímos e fomos  por ele). Fizemos isso e foi certinho, sem perrengue, em pouco mais de 1h estávamos lá. Mas alerto: na volta pegamos engarrafamento para chegar ao hotel, afinal, BH é uma cidade grande e chegamos bem na hora do rush (saímos do parque às 16:30).

Pela BR 040

BR 040

O caminho mais bonito para Inhotim: pela BR 040

Dicas de quem foi:
    • Fomos em uma 6ª feira bem ensolarada de agosto e estava bem tranquilo. Mas a maioria das lanchonetes estava fechada e um dos restaurantes estava reservado para um grupo. Como o local é mesmo gigantesco, e estávamos bem do lado oposto do restaurante disponível quando descobrimos isso, foi meio demorado até conseguirmos comer. Apesar de não ser permitido entrar com alimentos no parque, com criança pequena nunca podemos estar desprevenidos. Tinha frutinha picada, biscoitinho e suco para minha pequena, que comeu tudo sem incomodar ninguém.
    • Mesmo não sendo um dia muito cheio, a fila é considerável para entrar.Comprei nossos ingressos pela internet e comprei junto o voucher para o transporte interno por carrinho. Apesar de ter uma taxa na compra antecipada, acho que a comodidade vale a pena. Principalmente pela certeza de que terá o carrinho disponível (a dica é de que se não tiver comprado com antecedência e for fim de semana ou férias, chegue cedo porque são limitados).
    • Há ingressos para múltiplos dias. Um dia é realmente pouco para conhecer tudo. Mas com criança pequena acho que dois dias é muito cansativo (para eles e para nós).
  • Como já disse, o local é gigantesco. O transporte interno por carrinho é mesmo bem útil para quem não tem crianças e essencial para quem tem. A não ser que você seja maratonista acostumado a camelar com peso (da tranqueirada e dos bebês), sugiro fortemente que reserve o carrinho. Crianças pequenas não pagam e optei por aqueles que seguem um dos 5 caminhos pré-definidos do parque (R$20/pessoa). Ainda mais se você só quiser ficar um dia, é essencial estar de carrinho para conseguir ter uma noção panorâmica do local. Tem a opção de reservar um particular, mas não sei o valor.

 

Andar de carrinho foi uma das coisas mais legais pra ela

.

  •  Há muitos bebedouros disponíveis. Leve uma garrafinha de água e vá enchendo durante o passeio.
  •  Protetor solar é mesmo importante. Levei repelente, mas não precisamos usar. Use calçados confortáveis e leve as crianças de sapato fechado, o ideal é tênis para todo mundo.
  •  Se tiver coragem, tem piscina (na verdade, duas, uma interna e outra externa) onde o banho é permitido (crianças só acompanhadas). Fomos em um dia bem quente, mas a água estava bem fria.
  • Esperava mais da lojinha do parque. Tinham poucas opções legais de verdade com a marca. Tudo o que era pelo menos legalzinho era caro demais.
Obras favoritas eleitas pela  minha pequena:
  • A Cosmococa, de Hélio Oiticica, tem as atrações que a criançada mais gosta.

Cosmococa – a parte mais interativa

 
 Os famosos fuscas ficam próximos à Cosmococa. Ela gostou bastante.
  • A Cidade de Velas foi um ponto alto para ela.
  •  A piscina externa onde molhou os pés foi uma das preferidas.

 

Brincadeiras na piscina externa. Se tiver coragem, pode tomar banho, mas a água é fria

Nosso dia lá foi muito bom, mas cansativo. Levamos o bebê no canguru e Helena no carrinho. Na volta, as crianças entraram no carro e em 30 segundos estavam dormindo. Mas adoramos! Um passeio inesquecível. Voltamos para BH e no dia seguinte partimos para Ouro Preto.

 

Escrito por Carla Torres.

Veja se você concorda com:

Carla Torres

Médica (Universidade Federal Fluminense – 2004) e mãe. Atua nas duas funções em tempo quase integral e é apaixonada pelo que faz.

2 respostas para “Um passeio inesquecível em Minas Gerais”

  1. […] muito mesmo de ter conhecido. Adoraria voltar. Valeu muito a pena.  Não gostar de Ouro Preto e Inhotim é improvável. Escrito por Carla […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *