Filhinhos da Mamãe

Guia Sobre Infância
MENU

Brugges, na Bélgica. A cidade medieval dos sonhos.

Tags:,

A cidade que parece ter saído de um conto de fadas.

Vindos de Bruxelas, conhecemos a cidade em que o tempo parece ter parado. Brugges é perfeita. Chegamos de trem. Da estação pegamos um ônibus e chegamos ao hotel (na verdade, um pequeno hotel familiar, tipo Bed & Breakfast, com apenas 3 quartos, mas muito moderno e aconchegante, com excelente receptividade dos proprietários. Gostamos muito. B&B ‘t Walleke – Carmersstraat 41, Bruges).

O dia estava lindo, infelizmente era feriado e quase todas as lojas estavam fechadas, e não pudemos fazer o passeio de barco pelos canais. Mas passeamos muito pelas lindas ruazinhas medievais. Tinha visto vários pontos turísticos que pretendia visitar, mas acabei seguindo uma outra dica: andar aleatoriamente, sem qualquer rumo pelas ruas de Brugges. Os restaurantes fecham muito cedo (por volta das 20h), só conseguimos comer um sanduba e voltamos para dormir no hotel. Ficamos impressionados com a beleza da cidade.
Brugges – uma jóia.
Brugges
Brugges
Brugges
Bebê feliz da vida, apesar do friozinho.
02/05/2012 – D9– Brugges
O dia amanheceu nublado. Depois do café, fomos à feira na Burg (Markt, acontece todas 4as). Bem tipicamente antiga. Comemos uns deliciosos pedacinhos de frango, provamos umas frutas e fomos conhecer o comércio (área que liga a Markt a ‘t Zand). Fomos à chocolateria “The Chocolate line”, que apesar do nome comercial, tem um dos mais respeitados chocolates belgas da atualidade. O chocolatier Dominique Persoone é um astro e tem até estrela Michelin. Como era de se esperar, caro pra caramba. Mas realmente especial. Compramos duas trufas e levei duas caixinhas.
O chocolatier Dominique Persoone é um astro e tem até estrela Michelin.
Passei em outra tradicional chocolateria, a Galler, e comprei várias barrinhas de presente para pessoas queridas. Eu queria comprar um carregador tipo canguru para o bebê e, apesar das dicas da proprietária do hotel, não conseguimos. Voltamos para a feira, compramos um frango assado cheio de temperos e comemos no hotel, acompanhado de uma maravilhosa cerveja Leffer. A gentil dona se dispôs a nos levar de carro para fora do centro histórico para comprar o tal canguru. Passamos por um moinho lindo, atravessamos uma ponte e tínhamos saído da Idade Média. Lá achei um canguru perfeito (Ergo Baby). Nossa viagem ficou ainda melhor, era bem mais fácil carregar nossa fofinha naquele negócio, e ela amou. Entrava ali e queria dormir. O tempo fechou e logo começou a chover. Descansamos um pouquinho no quarto aconchegante do hotel e quando parou de chover fui dar umas voltas sozinha. Meus amores ficaram de preguiça na cama quentinha. Fui conhecer um lugar que queria muito: Onze-Lieve-Vrouwekerk – a Igreja de Nossa Senhora. Bem legal, mas já estava quase na hora de fechar (16:30), quase não tive tempo de ver a tela A Virgem e o Menino Jesus, de Michelangelo, mas vi. Missão cumprida. Adoraria voltar… Admirei longamente as construções ao longo dos canais e comprei uns sanduiches e uns doces folheados deliciosos. Voltei ao hotel e estávamos todos cansados. Dormimos cedo como parecia que fazia todo o resto da cidade. No dia seguinte partimos para Bruxelas e de lá para Paris. Não deixe de conferir!

Carla Torres

Médica (Universidade Federal Fluminense – 2004) e mãe. Atua nas duas funções em tempo quase integral e é apaixonada pelo que faz.

2 respostas para “Brugges, na Bélgica. A cidade medieval dos sonhos.”

  1. Silvana disse:

    Oiê,
    Tenho ua bebezinha de 2 meses, e em setembro, qd ela tiver 6 meses, queremos viajar com ela.
    E agora comecei a pesquisar qt a possibilidade, e encontrei teu blog e agora o site. Estou amando teus relatos e estou me encorajando bastante.
    E uma das minhas dúvidas e qt viajar de trem, na Europa. qual a tua experiência? É tranquilo viajar com carrinho? temos um canguru, mas será q não fica muuuito cansativo?
    Desde já, brigada.
    Todas as tuas dicas são ótimas!!!

    • Carla Torres disse:

      Obrigada, Silvana. Fico feliz em ajudar. Sempre viajo com carrinho (tipo guarda-chuva) e canguru. Até agora, que minha filha tem 3 anos, me dei ao trabalho de levar dois carrinhos (pra ela e outro pro irmão de 1 ano). Ruim com eles, pior sem. Tem q ser um canguru bom, senão detona com a coluna. Fiz percursos cursos de trem, mas sempre foi muito tranquilo. Nas viagens que faço com muitas cidades, prefiro ir de carro. É muito mais cômodo, mas se vcs forem ficar vários dias e se deslocar poucas vezes, o trem é excelente. Abraços e boa viagem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *