Filhinhos da Mamãe

Guia Sobre Infância
MENU

Como recuperar a forma física no pós parto

Tags:,

Como se livrar daqueles quilos que ficaram como herança da gravidez? Como recuperar a forma física no pós parto?

Minha dica é que se preocupe em se manter no peso, mas não fique paranóica com isso. Não sofra demais. Na verdade a busca pelo corpo perfeito é só mais uma vertente da nossa necessidade consumista.

Provavelmente se manter acima do peso te trará aquelas inevitáveis cobranças que nós mesmas (e na verdade toda a sociedade) nos fazemos, temos que ser boas mães, boas esposas, boas profissionais, boas donas de casa e magras! Não é fácil. A gravidez é uma transformação imensa em termos emocionais, metabólicos e mesmo físicos no corpo da mulher. O quadril alarga, os peitos aumentam, a coluna muda a curvatura…

Dê tempo ao seu corpo para se recuperar. Se esforce em ficar saudável. O aumento da autoestima e o peso ideal vêm de bônus.

Minha experiência pessoal:

gravida2

Engordei um pouco mais do que devia nas duas vezes que engravidei.  No inicio cheguei a perder peso, por tanto enjoo que tive. Isso me fez relaxar um pouco e esquecer que o bebê cresce mesmo é nos meses finais. Da primeira gestação, retornei ao peso normal por volta dos 11 meses de pós parto. Na segunda já foi mais lento. Essa tal queda de metabolismo com aumento da idade é mesmo verdadeira! Meu filho tem 1 ano e meio e  parece que 2 kg da gravidez se incorporaram ao meu DNA. Sigo na luta.

Pontos chaves a serem perseguidos:

 DURANTE A GRAVIDEZ

Não se dê tantos direitos por estar grávida.

Aquela história de comer por dois já foi por terra há muito tempo. Nada de dietas, mas controle sua ingestão diária de calorias. Evite alimentos que não tenham grande valor nutricional e sejam muito calóricos, como o caso dos doces.

  • gravida-comendo-muito
    Faça atividades físicas regulares.

Além do controle do peso, melhora a circulação, diminui dores, melhora seu perfil de gorduras e açúcar no sangue. Bom para você e para seu bebê.

APÓS O PARTO

Amamente seu filho.

Sei que às vezes muitas mães não conseguem amamentar por um motivo ou outro, alguns deles que não dependem da vontade dela. Mas se prepare para isso. Não deixe de ler o post de amamentação. Estude o assunto, recorra a amigas que amamentaram para dicas práticas, busque ajuda profissional, insista em tentar amamentar.

bebe-mamando

Amamentar é como  fazer um DOC, uma transferência direta: você passa as calorias (que em nós se mostram como gordura) para seu bebê (nele, essas mesmas calorias, se apresentam como fofura!)

Como, na gravidez, acumulam-se reservas (100-150 calorias por dia), a mulher muitas vezes termina a gestação com sobrepeso.

Quando o organismo da mulher está preparado para amamentar, nem sempre ela consome a quantidade necessária de calorias para produzir o leite que o bebê ingere. Se estiver amamentando, o organismo irá retirar aquela reserva acumulada para fabricar o leite materno. Se a amamentação for exclusiva, ou seja, se todas as calorias que o bebê estiver consumindo forem de origem materna, a quantidade retirada da mãe maior será. Assim, se a mãe pára de amamentar precocemente, conserva as calorias que seriam usadas para fabricar leite materno.

Já foi demonstrado que a perda de peso das mulheres lactantes em amamentação exclusiva, que pode chegar a 500 g por semana entre a quarta e a 14ª semana.

Mantenha disciplina na atividade física.

Depois que o bebê nasce é muito mais difícil querer sair de casa para a academia. Mas dê seu jeito. Eu comprei um Air Climber, tento fazer assistindo TV (sim, Galinha Pintadinha, fazer o que?) sempre que posso. Não se permita arranjar desculpas. Você precisa de um tempo para você.

Nada de se tornar uma mãe limpa trilho

É muito comum que os bebês deixem um pouco de sopinha, de iogurte, de papinha… tudo bem, eu sei que sua mãe disse que é pecado desperdiçar comida. Mas ficar acima do peso não chega a ser uma virtude. “Não beliscarás entre as refeições!” Essa é a lei.

comendo a papinha do bebê

Nada de se tornar uma mãe limpa trilho. Comer restinhos da comida do bebê podem fazer a diferença na balança.

Não se acostume a comer muito

Durante a amamentação nosso consumo energético é maior, já que precisamos produzir o leite; comemos mais, mas gastamos mais. Não se acostume a comer muito. A quantidade de comida que ingerimos é mais hábito do que necessidade. Quando paramos de amamentar temos que reduzir a ingestão de comida (isso é parcialmente natural, porque a fome diminui, mas é comum manter o hábito de comer mais e ganhar peso ao parar de amamentar).

SEMPRE

  • Mágica é ilusão. Nada é fácil… Não tem outro jeito: o único modo de manter o peso ideal de forma consistente é através do equilíbrio entre consumo e gasto calórico, caso contrário você cai no conhecido efeito sanfona.

efeito sanfona

Efeito sanfona

Gasto e consumo calórico: a busca eterna pelo equilíbrio.

balanca equilibrada

São essenciais para que o controle do peso ocorra de uma forma saudável: dieta organizada e atividade física regular.

Atividade Física – O segredo para fazer a conta fechar. você só perde peso se gastar mais calorias do que ingere, simples assim.

Vários benefícios são bem identificados na prática de exercícios na gravidez: prevenção e redução de lombalgias, de dores das mãos e pés e estresse cardiovascular, fortalecimento da musculatura pélvica, redução de partos prematuros, maior flexibilidade e tolerância à dor, controle do ganho ponderal e elevação da autoestima da gestante. No feto, observou-se aumento do peso ao nascer e melhoria da condição nutricional.

Se você está sedentária há muito tempo, não é na gravidez que vai querer virar atleta, converse com seu médico (ou procure um médico do esporte para orientação) e inicie um programa de atividade regular e moderada.

Musculação e metabolismo

circunferencia-abdominal

A musculação é um excelente exercício para ser associado aos exercícios aeróbicos. Vou explicar de um modo simples o porquê: quando fazemos uma atividade aeróbica intensa, como um sppinig ou corrida, o gasto calórico durante a atividade é muito grande; além da perda de peso, trará todos os benefícios cardiovasculares (controle de pressão, melhora dos níveis de glicose sanguínea, do colesterol…) se esta prática for mantida.

musculação

Em defesa da musculação: ela tem efeitos importantes no  aumento do tônus muscular (te deixa durinha e empinada), na postura, ajuda a aumentar o metabolismo e consequentemente reduzir o peso e promove  benefícios cardiovasculares.

Mas na musculação, a perda calórica vai muito além da gasta durante o exercício. Embora uma sessão de musculação não tenha um gasto calórico tão importante quanto uma atividade aeróbica intensa (logicamente estou falando de pessoas normais, não atletas ou halterofilistas), vai aumentar seu consumo calórico diário. Isso porque a musculação vai resultar em hipertrofia, ou seja, aumento das fibras musculares.

O fato de ter maior volume muscular aumenta seu metabolismo basal, porque músculo consome muita energia, ao contrário de um tecido muito rico em gordura, que é metabolicamente muito menos ativo.

O universo ajuda quem já é magro: ser magro facilita se manter magro. Muito do que come uma pessoa que tem percentual de gordura elevado tende a se acumular, mesmo que não abuse muito na comida,  é mais do que ela precisa para manter seu metabolismo mais preguiçoso e pouco exigente.

josé-Aldo

Em um exemplo prático: José Aldo, que é um grande campeão do MMA na categoria peso-pena (sim, eu não sou tão certinha. Eu gosto de MMA, me perdoem) tem só alguns quilos a mais do que eu, ele pesa 65 kg e é até menor do que eu,  tem 1,67m e eu 1,70m). Ou seja, se considerarmos só o IMC, que é uma razão entre peso e altura, sou mais magra do que ele. Mas com certeza nossa composição corporal é MUITO diferente, não sei, mas imagino que o percentual de gordura corporal dele não passe de 6%, e o meu é por volta de 26% (tudo bem essa é uma comparação injusta, ele é homem, mais jovem do que eu… cheio de testosterona…. mas este exemplo é só para evidenciar como o Criador foi tendencioso).

Se fizermos uma mesma dieta com restrição calórica, e tivermos o mesmo tipo de trabalho (por exemplo, ambos atendendo o dia inteiro em um consultório) a perda de peso dele será evidentemente mais pronunciada do que a minha, porque ele gasta muita energia para manter suas funções metabólicas básicas e eu, justamente aqui, resolvo ser econômica.

*****
Por isso, menina, se você não é uma daquelas que ganharam na mega-sena acumulada da genética, aquele seleto grupo das magras de ruim, junte-se a mim e ao resto do mundo. Se esforce e seja feliz consigo mesma!!

 

 

Carla Torres

Carla Torres

Médica (Universidade Federal Fluminense – 2004) e mãe. Atua nas duas funções em tempo quase integral e é apaixonada pelo que faz.
Carla Torres

Deixe uma resposta