Filhinhos da Mamãe

Guia Sobre Infância
MENU

POST 4 – Vou para Europa com bebê – Escolhendo um hotel ou alugando um apartamento no exterior

Tags:, , , ,

thumb_IMG_5379_1024
Já houve uma época que não me preocupava muito com hotel, hoje em dia é ponto central na minha programação. Meu amor e eu já ficamos várias vezes em campings, pousadas bem simples… mas da última vez que fui a um camping (há uns 4 anos), percebi que não dava mais pra mim… que foi bom, mas só até a casa dos 20.  Não passa pela minha cabeça viajar com nossa filhinha sem um hotel reservado, como fizemos algumas vezes quando éramos só nós dois.
Uso muito o booking.com. Amo esse site. Gosto da forma que os hotéis são apresentados, confio nas opiniões dos clientes… nunca uma hospedagem foi muito diferente do que eu esperava. Tem vários outros sites, como o venere, que é muito usado na Europa. Por comodidade, quase sempre reservo pelo  booking.com . O contato telefônico, se necessário, pode ser feito em português (de Portugal), já usei para mais de 20 hotéis e nunca tive problemas… então esse é o meu de eleição.Atualização: o mais legal do booking.com é poder reservar com a possibilidade de cancelamento grátis (fique bem atento às condições de reserva, nem todos os hotéis ou acomodações permitem a desistência sem custos). Sempre reservo de cara logo os hotéis, com bastante antecedência, mesmo se não tenho completa certeza do percurso, já deixo o hotel reservado com a possibilidade de cancelar depois se precisar (geralmente preciso, conforme vou ajustando o itinerário ). Essa antecedência na programação é mesmo o segredo para conseguir hotéis confortáveis, bem localizados por um preço possível, principalmente para hotéis menores. Fiquei feliz ao ver que os hotéis que reservei há 6 meses agora não tem vagas ou tem por um valor inacreditavelmente mais alto. Fiz uma simulação se reservasse agora para a estadia daqui a 1,5 mês em Veneza; só havia um quarto disponível por um preço simplesmente mais de 4 x mais caro do que o que eu reservei. Seria impossível pagar pelo valor atual, seria muito caro até mesmo para alguém com bastante dinheiro (a diária de 450 passou para mais de 2000 Reais). Dá para acreditar?

 

Critérios de seleção:
  • Localização X conforto X bom preço – geralmente você só pode escolher entre dois desses 3 ítens. Encontrar os 3 juntos é muito improvável. Minha prioridade sempre é a localização. O outro parâmetro vai depender das circunstâncias e do orçamento. A localização é mesmo uma coisa que pode fazer muita diferença. Geralmente nosso tempo é restrito nas viagens – por exemplo: 4 dias em Roma dá, mas dá apertado (fomos há 3 anos, sem bebê, conhecemos muita coisa, mas em um rítimo realmente bem corrido). Se o hotel escolhido fica muito longe dos pontos de interesse, do transporte público; só o que se pode gastar com taxi e o tempo de deslocamento fazem a economia não compensar. Agora, com um bebê, em um rítmo de passeio mais lento e com toda a bagulhada que acompanha essa coisa fofa… um hotel mal localizado eleva seus problemas ao cubo. Sempre que escolho por um hotel, dou uma confirmada nas avaliações dos viajantes pelo TripAdvisor. Digito o nome do hotel e vejo o que o pessoal fala. Geralmente bate com o booking.
  • Agradando o bebê – Costumo dizer que quem gosta mesmo de viajar somos nós. Bebês gostam é da casinha deles. Querem mesmo é dormir em suas caminhas, comer na sua cadeira e ver Galinha Pintadinha na TV da sua sala. Eles gostam é de rotina. Isso não que dizer que não vão se divertir na viagem. Sempre que dá, procuro achar um hotel que possa agradar nossa pequena. O que ela mais gosta: água. Se tiver piscina, ofurô ou banheira tem prioridade para mim. Outra coisa que me atrai é uma área livre para ela poder dar umas caminhadas soltas, de preferência em um jardim.

DSCN1475

Escolhido em nossa viagem à Bélgica por conta da piscina aquecida.
Não decepcionou. Minha bebezinha amou.
    • Mini cozinha, frigobar, máquina de lavar roupas e outras facilidades, como cafeteira (não pelo café, mas por poder aquecer água) – Ter um frigobar é essencial. Toda vila/cidade tem um mercado. Gosto de poder ter suco natural e iogurte para ela. Se tiver cozinha, melhor ainda. Mesmo se for pequena, dá para fazer uma comidinha rápida e gostosa usando ingredientes do local. Amo fazer isso. Ter máquina de lavar roupas é uma mão na roda. Geralmente escolho uns hotéis que tenham esta facilidade em intervalos específicos da viagem (se viajo 20 dias, a cada 7 tento me hospedar onde tem máquina de lavar roupas e lavo tudo. Assim, só levo roupas para 7 dias, reduzindo muito a quantidade de bagagem).
  • Alugar um apartamento vale a pena? Na viagem que fizemos com nossa bebê  a Paris no ano passado, alugamos um flat. Escolhi essa opção porque no centro de Paris os hotéis são muito caros, mesmo sem muito conforto; além do mais, os quartos e elevadores (quando existem) costumam ser minúsculos. Alugar um flat só vale a pena se for ficar pelo menos 3 dias. É diferente, não vai ter ninguém para trocar toalhas, fazer a cama, chamar o taxi… essas coisas. Mas tem a vantagem de sentir um pouquinho do gosto de vivier como um local. Tomávamos café da manhã com o pão comprado na padaria, fiz uma macarronada com ingredientes comprados no mercado… Para nós a experiência foi super-positiva, pretendo repetir. A empresa que reservei ofereceu um tratamento muito frio e distante; não tivemos problemas para pegar as chaves, porque o sistema era todo automatizado me enviaram uma senha e ao chegar em Paris fomos ao escritório da empresa e pegamos as chaves do apto sem problemas, mesmo estando fora do horário do expediente. Enquanto estivemos hospedados tentei contato por telefone muitas vezes para pedir late check out e não consegui – se fosse um problema sério, como perder a chave, por exemplo, estaríamos em dificuldades; mas felizmente não tivemos nenhum problema. Fiz o pagamento pelo PayPal e reservamos especificamente  o da Rue Monsigny, na Opera. Foi bom. Recomendo o serviço com essas ressalvas. No site do  Ricardo Freire tem um post bem legal sobre aluguel de apartamento no exterior.

 

Escrito por Carla Torres.

Carla Torres

Médica (Universidade Federal Fluminense – 2004) e mãe. Atua nas duas funções em tempo quase integral e é apaixonada pelo que faz.

Uma resposta para “POST 4 – Vou para Europa com bebê – Escolhendo um hotel ou alugando um apartamento no exterior”

  1. […] e de lá partimos. O Flat, bem direitinho, embora simples, ficava perto da Opera (veja o post: Escolhendo um hotel ou alugando um apartamento no exterior) .  Deixamos as coisas lá e fomos andando até o Louvre, passando por dentro dos jardins do […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *