Filhinhos da Mamãe

Guia Sobre Infância
MENU

Quais são as ultrassonografias essenciais na gravidez?

Tags:, , , , , ,

Quando ficamos grávidas, fazer ultrassom e poder ver nosso bebê é um grande evento. Quais são as ultrassonografias essenciais na gravidez? Essa pergunta não tem uma resposta direta. Mas algumas se destacam em importância.
O número de ultrassonografias na gravidez vai variar de acordo com as possibilidades da realização de exames, do curso da gravidez (e riscos maiores ou menores associados) e da conduta do obstetra assistente.

A partir da 6a semana

No início da gestação, a Ultrassonografia transvaginal é o exame que permite a visualização do saco gestacional e do pequeno embrião. Por volta da 6a semana já é possível detectar os batimentos cardíacos, mas isso pode ocorrer um pouco mais tarde. Além de fazer o diagnóstico definitivo da gravidez, permite visualizar o número de embriões e sacos gestacionais, sangramentos atrás da placenta e  para certificar que a gestação esteja ocorrendo no lugar correto, ou seja: no útero. Eventualmente a implantação do embrião pode se dar em uma das tubas uterinas (antigas trompas de falópio) –  a chamada gravidez tubária – que pode ser muito grave. As ultrassonografias no início da gestação conseguem determinar a idade da gravidez com muito mais precisão do que as ultrassonografias seguintes.
Por volta da 12a semana a ultrassonografia já passa a ser a convencional obstétrica, que é feita pelo abdome.

Entre 11 – 13 semanas

Uma das mais importantes é a ultrassonografia que deve ser idealmente realizada entre a 11a – 13a semana. Avalia primordialmente três parâmetros que servem como triagem para um grupo de patologias chamado de cromossomopatias, sendo a mais conhecida a Síndrome de Down. Avalia, principalmente  a translucência nucal, o osso nasal e o ducto venoso.
translucencia
Medição da translucência nucal,
 importante parâmetro para suspeita de cromossompatia.

Entre 18 – 24 semanas

Outro exame de grande importância é a  Ultrassonografia morfológica, este exame deve ser realizado entre a 18a e 24a semana de gestação e serve como método diagnóstico de má-formação fetal. A sensibilidade do método gira em torno de 85%, ou seja, em torno de quinze por cento das más-formações fetais não serão diagnosticadas*. Dá pra ver detalhes, como os dedinhos do bebê.
morfol_gica
Ultrassonografia morfológica

Entre 20 – 24 semanas

Outro exame importante para avaliação da anatomia é o ecocardiograma fetal, feito por um médico ultrassonografista especializado em cardiologia fetal. Deve ser feito por volta da 20a a 24a semana de gestação. Serve para observar especificamente as estruturas do coração e sua funcionalidade. Na ultrassonografia morfológica o médico vê a estrutura do coração, mas neste exame aqui o médico estuda detalhadamente todo o coração, em busca de qualquer alteração, mesmo que seja discreta. Não é um exame obrigatório no Brasil, não porque não seja importante, mas por motivos administrativos, como por exemplo porque faltam profissionais especializados.
ecofetal
Ecofetal – avalia a estrutura anatômica e funcional do coração do bebê.

Ultrassom 3D e 4D

Este exame não é tecnicamente essencial para avaliação do feto, mas é importantíssimo para a satisfação pessoal das mamães. É muito bom ver a carinha do nosso bebê. Vale como complemento ao ultrassom convencional.  A diferença do 3D para o 4D é que no último a imagem em 3D se mostra em movimento.
Seu filhotinho começa a ficar bonitinho a partir da 20a semana, quanto mais pra frente, mais bonitinho. Boas imagens da fisionomia do bebê podem ser conseguidas a partir da 26a semana. A partir da 34a semana a definição é melhor.
Lembre-se: esse exame depende muito da boa vontade do bebê. Eventualmente ele pode se recusar a mostrar o rostinho. Exames 3D e 4D não são cobertos por plano de saúde.
ultrassonografia 3D
Ultrassonografia 3D – praticamente uma fotografia do seu bebê.
Mas lembre-se: ele deve querer se deixar fotografar

Dicas:

  • Ultrassonografias são exames que dependem muito da qualidade técnica do equipamento e da experiência do médico que o realiza. Por isso, um exame bem feito pode fazer a diferença. Pergunte sempre ao seu obstetra se tem algum local ou profissional específicos para indicar.
  • Tanto no SUS quanto nos planos de saúde agendar exames complementares não é tarefa muito fácil. Com as ultrassonografias fetais não é muito diferente, principalmente algumas que exigem profissionais altamente qualificados, como a ecocardiografia fetal.  Sugiro que agende com bastante antecedência, as principais – translucência nucal/morfológica/ecocardiografia fetal.
 
  • Tente fazer os exames dentro dos prazos ideais, ou seja, no intervalo indicado de semanas, para melhorar a confiabilidade técnica dos exames.

 

Gostou? Compartilhe com as grávidas que você conhece!

Carla Torres

Médica (Universidade Federal Fluminense – 2004) e mãe. Atua nas duas funções em tempo quase integral e é apaixonada pelo que faz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *