Filhinhos da Mamãe

Guia Sobre Infância
MENU

Relato de Viagem: Toscana, Itália

050420134965

Continuando o relato da viagem pela Europa com nossa fofinha (1 ano e meio)… já tínhamos passado pela Provence, Cote D’Azur, Riviera Italiana e chegamos a Toscana:

D15 – 04/05/2013 –  Lucca e Pisa

Acordamos em Levanto e seguiríamos em direção à Toscana. Decidimos que dali para frente não mais nos lamentaríamos pelo ipad. Tinha ficado no passado e não tocaríamos mais neste assunto. Assim fizemos.

Seguimos em direção ao nosso hotel, que ficava perto de Volterra. Mas antes passaríamos por duas cidades: Lucca e Pisa. O dia estava espetacular. Céu azul e calor. Paramos em Lucca, estacionamos um pouco antes da muralha do centro histórico.

050420134968

A muralha de Lucca

 

 

Atravessamos a muralha e adorei a cidade. Muito linda. O comércio lá é ótimo.

 

050420134937

Lucca – A cidade das bicicletas

 

050420134938

Lucca

 

050420134965

Lucca

 

050420134966

Lucca

 

Tomamos sorvete, passeamos um pouco e vimos que o Sol estava mesmo incomodando nossa bebezinha. Nós dois de óculos de sol e ela não. Papai já estava incomodado com essa situação e em Lucca resolveu: óculos de sol para a pequena. Ela se sentiu. Adorou!

050420134955

Papai comprou um óculos de sol para ela. Ficou toda orgulhosa

Fora do centro histórico passamos em um Carrefour, compramos água, algumas guloseimas, frutas, sanduichão para nós, papinha para ela, leite em pó e essas coisas todas. No estacionamento mesmo alimentei minha linda com a papinha e um suco orgânico e seguimos para Pisa.

Estacionamos e fomos direto para a Torre. Não tivemos interesse em subir. Nos contentamos com a vista externa. É mesmo muito torta. Dá até medo de passar pelo lado que ela está tombando (rs).

A Torre de Pisa é mesmo muito inclinada

 

Dia de sol com barriguinha cheia em Pisa

De volta para a estrada, com os dados do hotel no GPS, seguimos. Sempre por umas estradas sem pedágio. Chegamos ao hotel. Ele fica bem no meio do nada, entre Volterra e San Gimigniano. A entrada na propriedade foi tudo aquilo que se espera de uma hospedagem na Toscana.  Bem típica, uma verdadeira vila italiana.

Entrada do nosso hotel em Volterra, bem aquilo que imaginamos da paisagem da Toscana

Ficamos no Villa Sensano . Amei de coração. O apartamento era enorme. Com uma cozinha muito funcional. As gerentes foram gentis e nos receberam muito bem. Como tínhamos feito compras neste dia, fiz um ravioli (tinha comprado massa fresca e molho no Carrefour) com molho a matriciana e comemos na linda mesa que ficava no jardim. Ficamos de preguiça por ali, só curtindo o lugar e fomos dormir cedo, naquele silêncio maravilhoso.

Preparei nosso jantar e comemos neste jardim lindo

Minha fofinha adorou correr pela área livre do hotel

Cozinha pequena mas funcional

Nosso quarto: decoração simples mas muito limpo, espaçoso e confortável

 

D16 – 05/05/2013 – Volterra e San Gimignano

Acordamos e preparamos nosso café da manhã. Na cozinha do apartamento tinha café italiano (e todas essas coisinhas, como sal, açucar, óleo) e a gerente nos ensinou a usar a cafeteira italiana. Lavinia foi mesmo muito gentil. Me ofereceu a máquina de lavar roupas do hotel para lavarmos nossas roupas. Foi perfeito. Nesse dia eu acordei antes dos meus dois amores, coloquei toda a roupa para lavar e quando voltamos estava tudo seco e cheiroso.

Partimos para San Gimignano e descobrimos que a cidade é mesmo a queridinha da Toscana, está na moda. Lotado para estacionar. Só tinha vaga em um estacionamento bem longe das muralhas. Resolvemos, então, partir para Volterra. Chegamos rápido. A cidade é linda. Bem medieval.

Volterra

Volterra

 

Caminhamos bastante por lá. Entre os itens clássicos, os objetos feitos de alabastro, uma rocha calcárea. Tomamos sorvete, comemos uma pizza ótima na Pizzeria del Corso e nossa linda comeu comidinha de bebê.

Fomos então para San Gimignano. Andar de carro por aquela área já era um passeio por si só. Não gosto de dirigir, mas naquele lugar e com aquele carro (conseguimos um Volvo por upgrade), até eu me animei. A paisagem é mesmo muito linda. Bem diferente de tudo o que temos por aqui.

 

 

Dirigir um Volvo com uma paisagem dessa. Nem eu, que não gosto de dirigir, resisti

 

Lá ao fundo se vê as torres de San Gimigniano

Paisagem pelas estradas da Toscana

Chegamos e desta vez demos sorte. Tinha vaga no estacionamento mais próximo. A cidade é bem mais cheia de turista; embora bem parecida com Volterra, é mesmo mais charmosa. As famosas torres dão um visual muito legal ao local.

Caminhada pelas ruas de San Gimignano

 

As famosa torres de San Gimignano

Comprei alguns temperos e um vinho, mas as coisas por aqui são mesmo caras. Voltamos para o hotel. Hoje tínhamos reserva no restaurante que fica no mesmo terreno do hotel: Osteria il Cipresso. Foi decididamente a melhor refeição de toda a viagem. Pedimos a famosa Bisteca a Fiorentina.

Bisteca a Fiorentina na Osteria il Cipresso. Mais macia e saborosa impossível

Também pedimos fetuccini trufado. Perfeito. De sobremesa: panacota de chocolate. Bom demais. E não era tão caro. Voltamos no dia seguinte para o jantar e ficamos igualmente satisfeitos.

D17 – 06/05/2013 – Siena

Acordamos sem muita pressa. O dia estava nublado. Tomamos o café da manhã e seguimos para Siena. Fica a uns 45 minutos do hotel. Muito linda. Fomos em direção ao Duomo: uma Igreja maravilhosa, Cattedrale di Santa Maria Assunta. Linda demais!

Cattedrale di Santa Maria Assunta – Duomo

 

Comendo biscoito nas escadarias da Cattedrale di Santa Maria Assunta. Ai de quem ousasse tirar dela

Siena

 

Siena

Siena

Passeamos pela cidade, mas o clima não estava dos melhores. Felizmente nossa pequenininha dormiu e estava no carrinho com capa de chuva. Ficamos um tempão debaixo de uns toldos esperando a chuva passar. Parava e daqui a pouco voltava… ficou assim.

Siena: hoje o tempo não estava dos melhores… choveu bastante

 

Resolvemos voltar para o hotel. Fiz uma comidinha para nós 3 e fomos curtir um pouco a Jacuzzi. Enorme! Mas o chato é que tem hora marcada. Você tem que avisar com antecedência e a hora é precisa: 17h15 você precisa estar lá. Eles usam energia solar, eu acho, para aquecer. Se passar do horário, a água esfria. Também tem duração definida: 20 minutos. Todo esse controle tirou um pouco a graça. Mas foi bom enquanto os 20 minutos duraram.

Na Jacuzzi do hotel

 

Fomos para o quarto, organizamos as malas, descansamos um pouquinho e fomos dar umas voltas a pé pela propriedade. Jantamos muito bem na Osteria il Cipresso e fomos dormir.

  •  O hotel Villa Sensano: Muito bom. Muito espaçoso, com uma vista linda. A cozinha é bem equipada. A localização exige carro, já que é bem no meio do nada, entre Volterra e San Gimigniano, mas aí está justamente a graça: você se sente verdadeiramente na Toscana. Amei. Recomendo fortemente.
  • Perrengue zero. Tudo foi tranquilo. Andar com carrinho de bebê em cidade medieval é sempre mais difícil, mas nada que fosse realmente complicado.
  • Dica: Ficar hospedado em uma típica vila toscana, como nós fizemos, é mesmo uma experiência. Amamos!

D18 – 07/05/2013 – Florença e Castello del Trebbio

Partimos de nosso hotel em Volterra bem cedinho, por volta das 7h30. Rapidinho – 1h20 – chegamos em Florença (fomos pela via rápida – se me lembro bem, pagamos 6.30 Euros de pedágio). Tinha lido que em Florença é muito fácil levar multa por estacionamento irregular. Que o melhor seria estacionar fora do centro histórico, e a dica era deixar na Piazza Michelageolo. Fizemos isso. O estacionamento estava bem vazio pelo horário e era grátis. Mas sinceramente não sei se foi um excelente negócio não. Fica em Oltrano, a 30 minutos de caminhada da Ponte Vechio, com muitas escadarias de descida (e obviamente depois de subida) e com carrinho de bebê não foi muito agradável. Mas só por isso. Tomamos um café com canole para repor as energias e seguimos.

 

Estacionamos na Piazza  Michelageolo, que fica em Oltrarno

 

Bom, passamos pela ponte Vechio, que estava ainda bem vazia, o comércio estava abrindo… muitas muitas lojas ao longo da chegada das grandes atrações.

Comércio da ponte Vechio

 

Fomos caminhando em direção ao Duomo. Realmente imponente. Já tínhamos decidido que não subiríamos, seria muito complicado com o bebê. A subida é bem claustrofóbica pelo que vi. Mas dizem que é espetacular.

 

Duomo: detalhes impressionantes

 

Duomo: construção espetacular

 

 

Aquele frase super clichê de que Florença é um museu a céu aberto, é mesmo válida… Escultural.

É clichê, mas é verdade, Florença é um museu a céu aberto

 

Até minha pequena se impressionava com as esculturas

 

Tínhamos feito reserva para um único museu: Galleria della Academia . Não podia ir a Florença sem deixar de ver Davi. Verdadeiramente impressionante. Gigante e perfeito. Helena ficou apreciando e fazendo seus comentários, sempre muito pertinentes: “Bumbum, mamãe, bumbum”.

Foto roubada do Davi de Michelangelo. Imenso e perfeito

 

Além do Davi, a sala de esculturas de gesso é bem legal. Fora isso, nada mais nos atraiu no Museu não. Mas gostei de ter ido. Fiquei bem feliz ao ver a fila gigante para quem não tinha comprado com antecedência. Nós entramos em poucos minutos. Isso foi mesmo ótimo.

Saímos dali e voltamos para a praça do Duomo. Na lateral encontrei uma loja que me desestabilizou: uma loja imensa da Lindt, com todos os chocolates, sorvetes, biscoitos e muitas misturas para preparo de sobremesas em casa. Apesar das advertências que sempre sofro do meu amado de não comprar nada volumoso ou pesado (já que ele é o carregador oficial de bagagens), não pude me conter. Comprei um monte de coisas.

Artigos de primeira necessidade adquiridos na imensa loja da Lindt em Florença

Só não comprei mais em consideração à integridade de nosso casamento. Soube que tem uma dessas em NY, mas não sabia quando fomos pra lá. Nunca tinha visto uma dessas. Pedi um chocolate quente cremoso delicioso. E como não tive como negar para minha menininha, neste momento criei um monstro: ela amou o chocolate.

Provando chocolate da Lindt pela primeira vez. Como não se apaixonar?

 

 

Gulodices à parte (não contei de alguns molhos – ragu – que também fui obrigada a comprar em algumas lojinhas pelo caminho), seguimos e fomos para a Piazza dela Repubblica e Piazza dela Signoria –  bem legal, muitas esculturas. A essa hora já estava tudo bem lotado. Muitos turistas. Minha impressão de Florença foi boa, mas acho que tinha expectativas muito altas. Achei muito barulhenta, comercial… fiquei feliz por ter escolhido um hotel que não ficava no centro. Passeamos sem muito rumo, parávamos em algumas lojas – gostei muito de uma papelaria com os famosos papéis fiorentinos – Fomos em direção à Igreja de St Cocre, antes dei comidinha para minha fofinha e tomamos um sorvete na famosa Vivoli, muito bom mesmo.

 

Igreja de St Cocre

 

Seguimos em direção ao estacionamento. Sobe, sobe… ai Meu Deus! E ela ali, como uma princesa, dormindo no carrinho, toda limpinha, sem uma gota de suor. Justíssimo. Paramos em um jardim bem bonito, que tinha uma vista linda de Florença.

Jardim próximo à Piazza Michelageolo

 

Recuperamos as forças. Subimos mais um pouquinho e chegamos. Pegamos nosso carro e demos tchau pra Florença.

Nosso hotel ficava a 20 minutos do estacionamento. Um colega foi a um tour no Casttelo del Trebbio  e me sugeriu que fosse também. Eu entrei no site e vi que eles tinham hospedagem (não é dentro do castelo, mas em uma construção próxima). Imaginei que seria caríssimo, mas não. O preço seria o mesmo se ficasse em um B&B legal no centro de Florença: 102 euros/dia. Queria algo especial para comemorar o aniversário do meu amado e consegui. Ficamos em um apartamento imenso, com uma cozinha enorme, super bem equipada (tinha até máquina de lavar roupas), com uma vista perfeita para a plantação de uvas. Simplesmente maravilhoso.

Entrada do nosso apartamento

 

 

Recepção do Castelo

 

 

Adoramos desde a hora que chegamos. Nesse dia estava bem quente, eu e minha peixinha entramos na piscina – friozinho – mas nos divertimos. Papai, que é um gato (em todos os sentidos) e morre de medo de água fria, só apreciava uma taça de um vinho delicioso, produzido ali mesmo, que ganhamos de mimo pela estadia.

Banho de piscina: friozinho, mas gostoso

 

 

Ficamos muito satisfeitos com nossa escolha de estadia. Muito verde em uma paisagem tipicamente toscana

 

Fiz um creme delicioso com o cogumelo Paris  que não pude deixar de comprar em um mercado que passamos (1,20 euros – 500 g de cogumelo. Posso com isso?) e comemos com salada e vinho. Minha filhinha adorou (não a parte do vinho, claro).

 

Sobremesa improvisada: bolo de amêndoas esfarelado, com calda iogurte natural adoçado e aromatizado com limão siciliano, creme de chocolate e kinder bueno picado

Creme de cogumelos, salada verde, batata sauté, pão italiano e vinho Chianti.  Tem como ser melhor?

 

Tinha pedido que reservasse o jantar no restaurante que fica atrás da recepção. Curtimos o local, descansamos um pouquinho e fomos jantar. Ambiente muito lindo. Comida boa e com um preço bem melhor do que eu esperava. Pedimos um Proseco delicioso – 12 Euros a garrafa. Gostamos!

 

D19 – 08/05/2013 – Castello del Trebbio

Não tinha café da manhã, mas combinei com antecedência com o gerente (aliás, extremamente atencioso e competente) Alberto, que teríamos uma cesta de café da manhã, que seria entregue no nosso quarto pela manhã, para eu preparar o nosso café. Expliquei que seria o dia do aniversário do Jr e ele foi muito gentil e se disponibilizou a escrever um cartão (em papel fiorentino) com a mensagem que passei por email. Às 9h tocou a campainha e pedi pra meu amado ir ver o que era. Era a cesta de café da manhã. Ele ficou todo feliz. Preparamos tudo e o dia estava lindo. Comemos na mesinha do lado de fora com aquela vista linda.

Café da manhã especial do aniversário do papai com vista espetacular

 

Fomos dar umas voltas para ver a plantação de uvas.

Esse era mesmo um dia de programação ligth. Curtir o aniversário do meu amor naquele lugar lindo era o programa do dia. Ás 15h fomos para o tour (que ganhamos como cortesia) pelo Castelo. Alberto, o gerente, era quem conduzia. Educadamente ele me sugeriu que se a Helena desse um ataque de pirraça, que um de nós dois se afastasse com ela, já que o grupo (que pagava pelo tour) poderia se incomodar.

Castello del Trebbio

Tour pelo Castello del Trebbio

A história do castelo é demais. Pertenceu à família Pazzi, uma família muito poderosa que queria ser mais influente que os Medici e, segundo o guia, a famosa Conspiração Pazzi, para tirar os Medici do poder de Florença ocorreu em uma das salas do castelo. O tour em si passa por poucos cômodos do castelo. Depois segue pela adega (uma das oito).

Uma das oito adegas do Castelo

 

 

Logo depois tem uma degustação de vinho e azeite produzidos na propriedade. Apesar de querer ter visto mais do castelo, gostei muito do tour. Alberto é um excelente contador de história, muito espirituoso e divertido, e tem um inglês ótimo, fácil de compreender. Minha fofinha, como ele mesmo disso, nos orgulhou a todos. Todos do grupo a acharam comportadíssima. Em momento algum incomodou.

 

Depois do tour, degustação de vinhos e azeites

 

Orgulho da mamãe e do papai. Todos do tour elogiaram como ela foi comportada… Boa menina!

Loja do Castello del Trebbio. Compramos muito menos do que queríamos, por conta do peso. Trouxemos 2 garrafas de vinho, 3 de azeite, 1 geléia e açafrão. Tudo delicioso

Logo que acabou o tour tínhamos o outro evento programado do dia: aula de culinária (também agendada com bastante antecedência) com a tia do Alberto. Adriana, uma “nona” linda de 80 anos – mas bonitona mesmo e com braços mais firmes que os meus – que nos ensinou fazer a massa do macarrão e dois molhos: um Ragu clássico de molho vermelho e o melhor de todos: um vegetariano, que repeti a receita esses dias. Meu amado, que não gosta de cozinhar, mas adora macarrão, participou empolgadamente.

Aula de culinária particular

 

Meu amor, cheio de habilidades cortando macarrão

 

Ela não falava uma palavra de inglês e nós nada de italiano, mas a compreensão foi total. Inclusive minha Helena e ela se deram muitíssimo bem. Ao fim da aula tínhamos muito macarrão delicioso. Acompanhado de um vinho excelente comemoramos o aniversário do meu amor em grande estilo. No dia seguinte partiríamos para nossa parada final: Veneza.

Aniversário do papai comemorado em grande estilo

 

Olha só quem amou o macarrão…

 

O hotel

  • Ficamos em um dos apartamentos do complexo do Casttelo del Trebbio. Fiz a reserva pelo site. Precisei dar um sinal de 100 euros de antecedência (pelo cartão de crédito – enviei os dados por email – para minimizar os riscos, mandava os dados por emails diferentes e o responsável pela reserva disse que os apagaria logo após ler). Simplesmente nota 10. Além da estadia pedi uma cesta de café da manhã e aula de culinária. O tour nos foi oferecido de graça. Amamos tudo. Fica a 20 minutos de carro do centro de Florença. Indico fortemente.

Perrengue

  • Em Florença deixamos o carro em um estacionamento grátis – Piazza Micheolangelo – o fato de ser grátis é excelente, mas se estiver com carrinho de bebê ou tiver dificuldades de locomoção, fica meio complicado porque o estacionamento fica no alto, a uns 30 minutos de caminhada das principais atrações.

Dica

  • Filas nos museus – os dois museus mais visitados, Ufizzi e Galleria della academia merecem uma compra antecipada de ingressos. Só visitamos a Galleria, onde fica o Davi, não passamos perrengue justamente porque comprei pelo site .

 

Carla Torres

Médica (Universidade Federal Fluminense – 2004) e mãe. Atua nas duas funções em tempo quase integral e é apaixonada pelo que faz.

5 respostas para “Relato de Viagem: Toscana, Itália”

  1. Amanda disse:

    Olá. Adorei o roteiro. Como vocês montaram? Planejando uma viagem com uma bebe da mesma idade! Apaixonada ( a distância) pela toscana. Abraços

    • Carla Torres disse:

      Oi Amanda. Fui pesquisando em um monte de guia da NatGeo e PubliFolha, na internet, revistas de viagem e fui montando pelo google maps. Selecionei os hotéis quase todos pelo booking.com

  2. Gabrielle Azevedo disse:

    Ola! Adorei seu blog!
    Eu farei o mesmo roteiro ano que vem com minha filha, porém estarei sozinha. Ela terá 1 ano e 9 meses.
    VocÊ tem alguma dica para que eu consiga me virar sozinha com ela?
    É possivel levar papinhas daqui e o leite em pó?

    Obrigada e parabens pelo trabalho!

    • Carla Torres disse:

      Obrigada, Gabrielle. Já ouvi relatos de pessoas que tiveram problemas com potes de leite e papinhas na alfândega. Acho que é muito peso, não compensa levar tudo não. Leva só o suficiente até você se reabastecer lá.
      Sobre você se virar com ela sozinha, acho que estando na Itália ou aqui no Brasil sua batalha será a mesma. Minha dica é que você não se esqueça de levar um pau de selfie (muito mico, eu sei)! Tire muitas fotos e faça muitos vídeos de vocês duas, curta todos os momentos e faça essa viagem de vocês duas ser eterna! Um grande beijo e toda sorte para você sua princesa.

  3. […] já é uma mochileira veterana. Já passeou muito pelo Rio, Foz de Iguaçu, Amsterdam, Paris, Itália… mas agora temos um calouro no grupo. Pouco antes de completar 2 meses levamos nosso novo […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *